O que saber sobre o aquecimento global

FAQ

O que é o efeito estufa?

O Efeito Estufa é um processo natural e as emissões de gases que geram o Efeito Estufa estão presentes no ciclo da natureza desde o surgimento da vida no planeta. Esses gases criam uma espécie de "cobertor" ajudando a manter a temperatura da terra em condições adequadas à vida, retendo na atmosfera parte do calor do sol.

Então porque o Efeito Estufa pode ser prejudicial?

Nas últimas décadas a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) aumentou drasticamente. Atividades humanas como desmatamento, queima de combustível fóssil, atividades industriais, contribuem em muito para que a modificação do ciclo de emissões e remissões de GEE, levando ao aquecimento acelerado do planeta terra.

Esse aumento de temperatura já ocorreu antes no planeta, que passou por ciclos naturais de resfriamento e aquecimento. No entanto, o ser humano está modificando a concentração dos GEE em velocidade sem precedentes, o que está causando uma série de mudanças climáticas levando a problemas ambientais que prejudicam toda a vida do Planeta Terra, inclusive a nossa.

Quais são os principais gases de efeito estufa e suas fontes?

O IPCC (International Panel on Climate Change) considera seis tipos de gases diferentes como sendo os mais problemáticos para o aquecimento global. O Gás Metano, por exemplo, que é liberado em processos digestivos de animais ruminantes como bois e ovelhas, ou resultado de fermentações de lixo orgânico nos lixões apresenta um potencial de aquecimento global 21 vezes maior que o Dióxido de Carbono, o CO2. Os principais GEE são: gás carbônico (CO2), metano (CH4), N2O e outros como os CFCs (clorofluorcarbonos). Clique aqui para visualizar maiores detalhes desses gases.

Porque Neutralizar?

A redução da emissão dos Gases do Efeito Estufa é condição imperativa para a qualidade de vida na terra. Ações de redução dessas emissões como substituição de combustíveis fósseis por outros mais limpos, promover o aumento da eficiência energética dos processos, tratamento de gases de processos industriais e evitando desmatamentos são iniciativas muito importantes.

 

Neste contexto a neutralização aparece como uma importante ferramenta das emissões que não podem ser reduzidas. Para saber mais como você e a sua empresa podem neutralizar emissões de GEE clique aqui.

O que pode ser neutralizado?

Produtos, serviços, eventos, empresas, atividades da construção civil, viagens, pessoas físicas, etc. Para saber mais como você e a sua empresa podem neutralizar emissões de GEE clique aqui.

Como é feita a neutralização?

A neutraliação dos GEE gerados é realizada aplicando-se uma metodologia adequada que prevê a quantificação das emissões dos Gases de Efeito Estufa do cliente - empresa, pessoa física, atividade a ser neutralizada - e dimensiona a partir dessa quantificação um plantio de árvores que terá por função armazenar / estocar CO2 da atmosfera em seus tecidos vivos, através do processo da fotossíntese. O Programa CarbonOK da AMBIENS Consultoria compreende oito etapas que podem ser visualizadas clicando aqui.

Como as árvores absorvem carbono?

As plantas fazem a fotossíntese, um processo bioquímico que transforma CO2 (dióxido de carbono) em Carbono e libera oxigênio (O2) com a ajuda da energia do sol. A absorção do carbono se dá ao longo do crescimento da árvore, por isso os projetos de plantio têm que ser monitorados para garantir a eficácia da neutralização.

Como de faz o cálculo de quantas árvores devem ser plantadas?

Para fazer o cálculo do número de árvores a serem plantadas as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) devem ser quantificadas, através da determinação do Carbono Equivalente. Esta é uma mensuração de conversão de todos os demais gases de efeito estufa para um único parâmetro de quantificação, ou seja, chega-se a quantidade de Carbono Equivalente emitido.

A AMBIENS Consultoria utiliza a metodologia do IPCC para esse cálculo partindo de uma série de conversões padronizadas através de fatores de emissão associados a diferentes materiais. Assim os combustíveis fósseis têm um determinado fator de emissão, como por exemplo, o diesel, que é diferente da gasolina. O consumo de energia elétrica tem outro fator de emissão, a geração de lixo não reciclado outro diferente. Estes fatores de emissão são atualizados em seus respectivos organismos de regulação. Chegando-se a quantificação das emissões de Carbono Equivalente utiliza-se novamente um fator de conversão para a quantificação do número de árvores necessárias para a neutralização daquela quantidade calculada.



Desenvolvido por MDWeb

^